Tratamento de Lesões Tendinosas na Mão

As lesões abertas por cortes ou traumatismos (ferimentos cortantes, corto-contusos, lacerações ou esmagamentos) podem acometer os tendões e causar perda da função. Mesmo cortes domésticos inocentes e pequenos podem afetar as estruturas motoras e, muitas vezes, não são diagnosticados no atendimento de urgência, prestado geralmente por um médico generalista. O sintoma principal de uma lesão tendinosa é a perda da mobilidade do segmento que este tendão se destina, que pode ser de um dedo ou do punho.

Lesões dos tendões flexores (cortes e ferimentos na face palmar da mão e dedos) causam a incapacidade de fletir o dedo e o dedo por tanto assume uma posição estendida (esticado) quando em repouso em comparação aos outros dedos. Também não conseguira fletir (dobrar) o dedo voluntariamente, total ou parcialmente. De forma inversa, os cortes ou ferimentos na região dorsal da mão geram lesões nos tendões extensores e o dedo acometido assumira uma posição de flexão (dobrado) em relação aos demais quando a mão estiver em repouso, e o paciente não conseguirá voluntariamente estender (esticar) o dedo.

O mesmo ocorre para o punho em ferimentos mais proximais (na região do punho ou antebraço) causando perda completa ou parcial na capacidade de fletir ou estender o punho. Estas lesões mais proximais também podem afetar os tendões dos dedos, causando também o déficit de movimento dos dedos e nesta região frequentemente acomete mais de um tendão.

Também é muito frequente a lesão associada aos nervos, que possuem relação anatômica íntima com os tendões e os sintomas de alterações de sensibilidade podem estar presentes nestes casos.

O tratamento das lesões tendinosas é eminentemente cirúrgico e o tempo decorrido da lesão é muito importante. O ideal é reparar a lesão tendinosa imediatamente e o tratamento de urgência é a melhor opção. No entanto, a disponibilidade do especialista em Cirurgia da Mão em regime de urgência não é uma realidade na maioria dos hospitais do Brasil. Neste caso, o indicado é que seja feita uma boa limpeza do ferimento, com sedação ou anestesia regional, seguido de sutura da pele para proteger o ferimento e as estruturas internas da contaminação e de uma eventual infecção. Após esse cuidado inicial, o tratamento cirúrgico definitivo deve ser programado com um especialista entre o 5º e 10º dia da lesão para afastar a possibilidade de processo infeccioso local.

Após duas semanas, a lesão tendinosa começa a ter um tratamento cirúrgico mais complicado, pois existe a retração do tendão cortado e o encurtamento do músculo relacionado. Pode haver indicação de outras técnicas de reconstrução mais complexas, as quais utilizam enxertos e próteses de silicone em duas ou mais cirurgias.

A equipe do São Paulo Hand Center tem experiência em reconstrução de lesões crônicas e reparação de lesões agudas, utilizando os conceitos mais modernos e atuais. Conta com reabilitação especializada com Terapeuta da Mão no pós-operatório, o que hoje é considerado um dos fatores mais importantes no prognóstico de sucesso da cirurgia.